Vamos falar sobre a dengue?

janeiro 26, 2017 UnirConhecimento 96

Transmitida pelo mosquito do gênero Aedes Aegypti, a dengue é uma doença viral, que vem se propagando rapidamente no mundo. Nos últimos 50 anos, sua incidência aumentou 30 vezes, consequentemente, a estimativa, é que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente, sendo que 2,5 bilhões de pessoas morrem em países onde a dengue é endêmica.

A dengue é uma doença febril aguda, que pode apresentar um amplo espectro clínico, ou seja, enquanto alguns casos podem se recuperar após a evolução clínica leve e autolimitada, uma pequena parte dos casos pode evoluir para a forma grave da doença.

A disseminação da dengue ocorre preferencialmente em países tropicais e subtropicais, onde as condições ambientais favorecem para o desenvolvimento rápido e a proliferação do mosquito transmissor.

A principal forma de contaminação é pela picada do mosquito contaminado, embora existam registros de casos em que a transmissão ocorreu de forma vertical (transplacentária), isto é, da mãe para o bebê, e casos de transmissão por transfusão sanguínea. Atualmente, existem quatro sorotipos que circulam no país. São eles, DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Para dar o início ao tratamento, é preciso o reconhecimento precoce dos sinais e sintomas, além do extravasamento plasmático para que inicie rapidamente a correção com a infusão de fluídos. Os principais sintomas são febre alta (39°C a 40°C), com início súbito, que permanecem por 2 a 7 dias,  acompanhado de cefaleia, mialgia, artralgia, prostração, astenia, dor retroorbital, exantema e prurido cutâneo. São comuns também anorexia, náuseas e vômitos. Principalmente nesta fase, é imprescindível a realização do teste a prova do laço, o qual se apresentar resultado positivo, aumentaria muito a probabilidade do paciente estar com dengue, uma vez que, manifestações hemorrágicas como petéquias e sangramento de membranas mucosas podem vir a ocorrer. A confirmação é realizada por exames laboratoriais (Sorologia IgM, Teste rápido NS1 ou Elisa, Isolamento Viral, PCR e Imunohistoquímica).

Quanto ao tratamento, este é realizado apenas para alívio dos sinais e sintomas clínicos. Desta forma, é importante quem ao aparecimento dos primeiros sintomas, deve-se procurar o serviço de saúde mais próximo. É necessário manter repouso, ingerir bastante líquido, além de não se automedicar.

A única forma de prevenção é a erradicação do mosquito da dengue, mantendo os quintais sempre limpos, utilizar roupas compridas que evitem a exposição da pele e que contribuam para a não exposição, principalmente durante o dia,  período em que o mosquito apresenta-se mais ativo. S utilização de repelentes também pode contribuir para esta proteção.

Referências Bibliográficas

Ministério da Saúde. Disponível em http://combateaedes.saude.gov.br/pt/tira-duvidas

Ministério da Saúde. Portal da Saúde. Disponível em :

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/dengue

Comentários

Deixe sua mensagem